Evento do arroz teve encontro de empresários aeroagrícolas

Segurança de pilotos agrícola, qualidade nas operações e a responsabilidade solidária de produtores que contratam empresas não idôneas, em caso de acidente, foram alguns dos temas discutidos nessa quinta-feira (22) em mais uma edição do projeto Sindag na Estrada, do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola. Dessa vez o encontro ocorreu no estande do Sindag dentro da 28ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz, em Cachoeirinha/RS.

Os empresários aeroagrícolas e técnicos do setor discutiram também a proposta de elaboração de um estudo aprofundado sobre os custos para os operadores em cada tipo de lavoura e conforme os modelos de aviões ou helicópteros utilizados. Outros temas da pauta foram as relações com entidades governamentais, os preparativos para o 2º Seminário de Aviação Agrícola, que vai ocorrer em maio, em Porto alegre, e o Congresso a Aviação Agrícola do Brasil, em agosto, em Maringá.

Essa foi a 11ª edição do Sindag na Estrada, que desde o ano passado teve rodadas também em São Paulo, Paraná, Mato Grosso e Goiás. O objetivo da iniciativa é levar qualificação aos operadores e otimizar a comunicação do setor com a sociedade, incentivando ações proativas regionais. Isso além de promover a integração entre os operadores e profissionais aeroagrícolas e aproximá-los do Sindag.

John Deere destaca soluções em agricultura de precisão na Abertura Oficial da Colheita do Arroz

O arroz é uma cultura cultivada e consumida em todo o mundo, com destaque para a Ásia e América Latina, com importante papel econômico e social nestas regiões. A John Deere, consciente da relevância da rizicultura para o País, apresenta soluções integradas em agricultura de precisão para aumentar cada vez mais a produtividade e a rentabilidade dos produtores em sua participação na Abertura Oficial da Colheita do Arroz.

A empresa estará presente, por meio do concessionário Verdes Vales, no evento que acontece em Cachoeirinha (RS), de 21 a 23 de fevereiro, com os objetivos de apontar as principais novidades do setor e debater os rumos da produção e do suprimento arrozeiro.

“O arroz é um dos principais produtos da cesta básica dos brasileiros porque é versátil e consegue adequar-se às diferentes preferências do consumidor. Por isso, é de extrema importância dentro da cadeia de produção do país”, destaca Eduardo Martini, gerente de Vendas da John Deere Brasil. Ele fará uma palestra para o Painel Mercadológico, no dia 22 de fevereiro, às 14h. O tema é “Por que o Brasil? Visão dos executivos das principais marcas”.

A região Sul do Brasil desempenha um papel primordial na produção agropecuária brasileira, principalmente pela atuação de médios e pequenos proprietários, além da agricultura familiar. Segundo a CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento, o Rio Grande do Sul concentra 70% da produção de arroz do País e o cultivo é, na sua maioria, irrigado. A previsão da média nacional de produtividade é de 5.978 kg/ha.

Martini afirma que o evento é uma maneira de apresentar as maiores novidades do setor aos produtores que precisam produzir com cada vez mais eficiência. “Temos a oportunidade de mostrar as soluções inovadoras desenvolvidas pela John Deere que garantem maior eficiência na operação dos clientes, como todas as soluções em agricultura de precisão”.

Inovação é o lema

Um exemplo disso é a criação das Colheitadeiras da Série S400. Desenvolvida após análise das demandas dos produtores nacionais, a máquina traz como diferencial a substituição da tecnologia saca-palha pelo rotor. A troca garante simplicidade operacional, menor índice de perdas, melhor limpeza e qualidade do grão com resultados efetivos na colheita. Além disso, as colheitadeiras adaptam-se às características locais de terrenos da região Sul com um relevo mais acidentado.

O objetivo é fornecer um equipamento que possui maior eficiência no consumo de combustível e menor peso, o que evita a compactação do solo. Outro destaque é o Sistema DF4 que aumenta a capacidade de limpeza e diminui as perdas em até 11%.

O modelo ainda oferece facilidade ao produtor por meio do piloto-automático, o que gera 8% a mais de produtividade. Segundo o especialista em Colheita da John Deere no Brasil, Marcos Balsan, “a aplicação e a eficiência do piloto automático sobre taipas na colheita do arroz é garantida pelo exclusivo sistema TCM dos receptores StarFire™ 6000 que corrige a posição da máquina mesmo em terrenos irregulares, mantendo sempre as passadas paralelas e utilizando toda a largura de corte da plataforma, assim o operador pode se concentrar em garantir o pleno funcionamento da máquina e os ajustes necessários para evitar perdas e obter a melhor qualidade do grão”.

Agricultura de Precisão

A operação de preparo de solo na cultura do arroz é responsável pelo sucesso da implantação da lavoura, e por isto esta fase é tão importante. Erros nessa parte do ciclo produtivo podem trazer um grande aumento nos custos de produção e reduções significativas na produtividade da safra em questão.

A John Deere tem soluções exclusivas para essa operação com ferramentas de manejo de água em superfície como o Surface Water Pro™, que coleta dados altimétricos para uso em um Software chamado AgroCAD, que é um plug-in que permite o planejamento das operações de nivelamento e sistematização da área para implementação da lavoura, tudo isso utilizando orientação via satélite e piloto automático. Com o Surface Water Pro™ também é possível fazer o nivelamento da lavoura em tempo real sem depender de sistemas laser e sem sofrer com intempéries, como vento, poeira e neblina.

Para os produtores que sistematizam a lavoura movimentando terra com lâminas e scrapers, a John Deere oferece o sistema IGrade™ que faz o controle automático da posição do implemento, garantindo a precisão altimétrica e o menor esforço possível de movimentação de terra, reduzindo custos e aumentando a eficiência na execução da tarefa.

E para completar as soluções, a John Deere oferece ainda seu sistema de correção RTK, que possibilita precisão de 2,5 cm e repetibilidade entre passadas por tempo indeterminado.

“Temos a missão de oferecer soluções completas em otimização de máquinas e operações e suporte às decisões agronômicas. Nossa expectativa é que as inovações tecnológicas proporcionem um cenário cada vez melhor para a agricultura brasileira e que junto com os produtores possamos responder ao desafio de alimentar uma população mundial crescente”, diz Martini.

Além das tecnologias para otimizar custos de produção, é preciso diversificar a renda do produtor. Com as novas variedades de soja mais tolerantes ao excesso hídrico, o plantio de soja em áreas de arroz vem se mostrando viável e uma excelente alternativa para incrementar renda agrícola e para rotação de cultura.

“Estima-se que existem 300 mil hectares de soja sendo plantadas em lavouras de várzeas, com um potencial de chegarmos a 1 milhão de hectares, o que trará uma renda de R$ 3,2 bilhões para o setor”, conclui Martini.

Mais informações

www.facebook.com/JohnDeere

witter.com/JohnDeereBrasil

www.youtube.com/JohnDeereBrasil

Informações para a imprensa

Grupo CDI – Comunicação e Marketing

Larissa Trigueirinho (11) 3817-7944 – larissa.trigueirinho@cdicom.com.br

William Gimenes (11) 3817-7910 – william@cdicom.com.br

Flávia Tavares (11) 3817-7914 – flavia@cdicom.com.br

Cláudia Santos (11) 3817-7925 – claudia@cdicom.com.br

Sobre a John Deere

A Deere & Company (NYSE:DE) é líder mundial no fornecimento de serviços e produtos avançados e está comprometida com o sucesso dos clientes, que cultivam, colhem, transformam e enriquecem a terra para enfrentar a crescente demanda mundial por alimentos, combustíveis, habitação e infraestrutura. Desde sua fundação, em 1837, a John Deere tem oferecido produtos inovadores de alta qualidade, contribuindo para a construção de uma tradição de integridade. Para mais informações, visite a John Deere pelo site www.JohnDeere.com ou, no Brasil,www.JohnDeere.com.br.

Bayer participa da 28ª Abertura da Colheita do Arroz no RS

A região Sul, hoje, é a que mais produz arroz no Brasil. De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Rio Grande do Sul possui mais de 70% produção e cerca de 55% de área plantada. Diante deste cenário, a Bayer apresenta, durante a 28ª Abertura da Colheita de Arroz, soluções integradas que atendem às necessidades destes produtores. O evento acontece entre os dias 21 e 23 de janeiro, na cidade de Restinga Sêca (RS).

Para a Bayer é muito importante que o orizicultor tenha soluções adequadas que englobem todo o ciclo, desde a semente até o manejo das lavouras, viabilizando um retorno máximo na produção e na qualidade dos grãos. “A Abertura da Colheita do Arroz é uma grande oportunidade para que possamos apresentar todos os benefícios de variedades adaptadas às demandas do orizicultor brasileiro, e a eficácia do nosso pacote de solução para o campo”, destaca Eduardo Goulart, coordenador de desenvolvimento de mercado da Bayer.

Devido a constante busca pela alta produtividade, em mais de um milhão de hectares de arroz na região Sul do Brasil, a Bayer apresenta durante o evento uma variedade de semente de soja melhor adaptada às áreas de várzea, anteriormente apenas cultivadas com arroz e pasto, desenvolvida em parceria com o Instituto Riograndense do Arroz (IRGA).  O projeto Soja 6000 se baseia em tecnologia e assistência aos produtores que possuem interesse no manejo para altos rendimentos em soja na várzea.

De acordo Goulart, esta é considerada uma das melhores opções de alternância. “A soja promove melhoria da lavoura como preparação de solo antecipado, estruturação do solo para melhor drenagem e fertilidade de solo, limpeza de plantas daninhas e alternativa de renda para os produtores”, argumenta.

Para o evento, a empresa apresentará também o Starice®, herbicida pós-emergente indicado para o controle de plantas daninhas anuais na cultura do arroz. “O foco de controle deste defensivo é o capim Pé de Galinha, Grama Lombo Branco e, principalmente, no manejo de resistência de Capim Arroz, plantas daninhas que tiram o sono do orizicultor”, pontua o executivo. Além disso, a Bayer irá expor pela primeira vez a extensão de dose do Nativo® para o cultivo de arroz.

“Com soluções integradas, ajudamos os produtores de arroz a contribuírem de forma significativa a alimentar um planeta faminto. Nosso desafio é ajudá-los a protegerem esta importante cultura, que faz parte do dia a dia de todos os brasileiros, e tornar a produção de arroz sustentável com o aumento à produção e à qualidade do que é produzido”, finaliza Goulart. 

Informações à imprensa
Weber Shandwick – Assessoria de Imprensa

Carlos Nascimento Jr. cnascimento@webershandwick.com
Telefone: (11) 3027-0210 / 9 8459-5253

Tecnologias aeroagrícolas presentes na Abertura da Colheita do Arroz

As tecnologias aeroagrícolas estão à mostra no estande do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) na 28ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz. Este ano pela primeira vez a entidade está integrando as Vitrines Tecnológicas – o roteiro técnico da programação, com apresentações diárias para comitivas de visitantes (agricultores, técnicos, autoridades e empresários).

Até sexta-feira (dia 23), os grupos serão atendidos pela equipe do Sindag, com palestras do consultor Eugênio Schröder sobre o histórico e panorama da aviação agrícola e apresentações de tecnologias de bicos, sistema DGPS e outras tecnologias. Além da apresentação de um drone de pulverização.

O Brasil tem a segunda maior frota de aviação agrícola do mundo, com 2.115 aeronaves – conforme estudo divulgado esta semana pelo Sindag. O Rio Grande do Sul é o Estado com a segunda maior frota (427 aeronaves) e o maior número de empresas prestadoras de serviços aeroagrícolas para produtores (77) entre as 244 existentes no País. Boa parte desses números associados à importância do avião na produção do arroz, do qual o Estado é o maior produtor nacional.

SINDAG NA ESTRADA

Além da participação na programação geral do evento, o Sindag terá ainda nesta quinta (dia 22) uma tarde só para associados, com a 11ª edição do Sindag na Estrada. A reunião vai ocorrer na sede administrativa do Irga, dentro da Estação Experimental, com início às 16 horas. A pauta terá apresentações e debates sobre os cenários regional e nacional da aviação agrícola e ações para o Rio Grande do Sul. O fechamento será com happy hour para os participantes.

Sindag na Estrada é uma iniciativa do sindicato aeroagrícola para levar qualificação aos operadores e otimizar a comunicação do setor com a sociedade, incentivando ações proativas regionais. Isso além de promover a integração entre os operadores e profissionais aeroagricolas e aproximá-los do Sindag.

A primeira rodada de encontros ocorreu no ano passado, com um roteiro que começou em abril em Passo Fundo/RS e passou também por Campo Grande/MS, Ribeirão Preto/SP, Alegrete/RS e Londrina/PR. A ação faz parte do projeto Aviação Agrícola 2020, que é uma iniciativa do Sindag e conta com patrocínio da Syngenta.

RiceTec apresentará novidades para o mercado na Abertura da Colheita do Arroz

Custo de produção alto, preços aviltados e um mercado cada vez mais competitivo, estes têm sido os principais desafios dos produtores de arroz do Rio Grande do Sul nas últimas safras. Para vencer esses gargalos, as inovações tecnológicas e as parcerias com os principais fornecedores vêm se tornando essenciais para a sustentabilidade do negócio agrícola. Por isso, a cada safra, produtores de arroz no Brasil e no mundo buscam novidades para ampliar a produtividade nas suas lavouras, sem perder, é claro, a qualidade e rentabilidade do grão. A RiceTec, especializada no desenvolvimento e comercialização de sementes de arroz com alta tecnologia, vai apresentar na Abertura da Colheita do Arroz, que acontece de 21 a 23 de fevereiro, em Cachoeirinha, além das suas novidades para a próxima safra a importância da consolidação de uma parceria forte entre o produtor e o fornecedor.

O engenheiro agrônomo e diretor de marketing da RiceTec, Leandro Pasqualli, explica que uma parceria duradoura está no comprometimento e fornecimento de um portfólio variado que possibilite oferecer ao produtor a semente correta para sua necessidade. “Temos uma fórmula exclusiva de sementes, com diferentes bases genéticas, características industriais e de tecnologia, fazendo com que o produtor possa montar a sua fórmula de sucesso, já que, cada cultivo é único seja por condições climáticas, de mercado ou de necessidades intrínseca do negócio.  Na RiceTec, por exemplo, temos a combinação do InovCL, TitanCL, e LexusCL, desenvolvidos para serem flexíveis as mais diversas condições climáticas, sistemas de rotação de culturas e de manejo. Juntos, podem maximizar a performance de cada parte da lavoura ou da fazenda, dando ao produtor controle sobre a sanidade, produtividade e qualidade de forma sustentável.”, explica.

Todos esses produtos estarão expostos nas vitrines tecnológicas que ficam próximo ao estande da RiceTec, em Cachoeirinha, durante os três dias da Abertura da Colheita. Além do InovCL, do TitanCL e do LexusCL, a RiceTec também vai apresentar o XP118CL, uma nova opção de CL com ciclo médio, e o XP113, único produto convencional no portfólio da empresa e que vem crescendo em vendas a cada ciclo. “São produtos que tornam nosso portfólio ainda mais completo. O XP118CL, assim como o TitanCL, tem uma melhor adaptabilidade e excelente produtividade. Já o XP113 é um produto com alta produtividade e qualidade em ciclo curto no segmento convencional. Ainda no primeiro ano registramos uma boa aceitação por parte do produtor que se refletiu em um  volume de vendas bastante interessante”, explica  Pasqualli.

Controle de Plantas Daninhas e doenças

Outra grande caraterística das sementes comercializadas pela RiceTec  é a maior resistência à brusone, principal doença que ataca a cultura, como destaca o diretor de Pesquisa da RiceTec, Edgar Alonso. “Além do arroz vermelho, a brusone, por exemplo, é uma doença que tem convivido com o arroz há muito tempo. No portfólio da RiceTec temos o LexusCL, que apresenta grande resistência à doença, além de flexibilidade ao produtor pela sua plasticidade de uso em diferentes sistemas de cultivo e versatilidade de destinos de seus grãos.”

Outro produto que está consolidado junto aos orizicultores gaúchos e catarinenses é o InovCL. “Este produto vem conquistando um importante espaço no ambiente industrial. Fato esse baseado na excelente qualidade de grão física e de cocção do produto. Por isso, projetamos um crescimento de 12% nas vendas para 2018/19”, revela o diretor de marketing da RiceTec, Leandro Pasqualli.

 

Politubos – Tecnologia, Inovação e Sustentabilidade em Irrigação

Delta Plastics é a maior fabricante e fornecedora mundial de mangueiras plasticas para irrigação, com mais de 20 anos de experiência possui 15.000 hectares irrigados no Brasil, 2,3 milhões de hectares nos EUA e 15.000 hectares entre Uruguai, Paraguai e Argentina.

A empresa norte-americana com sede nos EUA e no Brasil desde 2013 têm o compromisso de fornecer soluções eficientes de irrigação aos agricultores. Trata-se de um conceito de tecnologia, produtividade e responsabilidade com o meio ambiente. Os Politubos são 100% recicláveis, desenvolvidos e pensados para a agricultura moderna através da gestão inteligente do uso da água e alta performace e desempenho.

Com a implantação da fábrica em Pelotas e um investimento inicial de 10 milhões na primeira etapa do projeto e capacidade de produzir quase 1000 toneladas por ano, a Delta Plastics acredita ser essencial participar do mercado local, aproximar a empresa dos produtores e dividir a experiência em irrigação, estabelecendo uma parceria na produção, inovação e sustentabilidade do campo.

A empresa tem o objetivo de apresentar aos produtores os resultados e os benefícios de sua Tecnologia em Irrigação, através dos dados colhidos nas últimas quatro safras no Brasil, comprovados e validados através de estudos e pesquisas realizados em parceria com o IRGA, Embrapa e clientes parceiros da Empresa.

Nosso portfólio hoje, oferece politubos de 5 a 22 polegadas de diâmetros e de 150 a 500 microns de espessura o que permite um melhor uso racional da água e alta performace e desempenho para irrigação.

A irrigação por mangueiras plásticas é uma tecnologia inovadora e sustentável que assegura a eficiência no manejo de água na agricultura. Na cultura do arroz, permite redução de aproximadamente 20% no uso de água e energia elétrica empregado na lavoura, além da otimização de mão-de-obra e de operações de colheita, com incremento de produtividade e qualidade de grãos quando comparado ao sistema de irrigação convencional. Em culturas como soja, milho e cana de açucar, a utilização de Politubos para irrigação por sulcos facilita o manejo de água, constituindo-se em um método de irrigação eficiente, de baixo custo operacional e de implantação do sistema. Estas vantagens permitem ampla aplicabilidade, tornando a tecnologia uma excelente ferramenta para a produção sustentável de alimentos.

O uso de politubos aumenta a velocidade de irrigação, reduz o volume de água utilizado na lavoura e proporciona maior rendimento de grãos em relação à irrigação convencional.

Massey Ferguson é destaque na Abertura Oficial da Colheita do Arroz

No evento, marca leva colheitadeira híbrida MF 6690 e oferece test drive dos tratores MF 6713 Cabinado e MF 7725

 A Massey Ferguson marca presença na 28ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz, entre os dias 21 e 23 de fevereiro, em Cachoeirinha (RS), com a colheitadeira híbrida MF 6690. A marca ainda oferecerá aos visitantes, o test drive dos modelos de tratores MF 6713 Cabinado e MF 7725.

“O arroz é um cultivo estratégico no Rio Grande do Sul tanto no âmbito econômico, quanto no social. Para a Massey Ferguson, participar mais um ano da Abertura Oficial da Colheita do Arroz é uma oportunidade de estar sempre ao lado do produtor rural e apresentar máquinas que contribuem para o aumento da produtividade no campo”, diz Rodrigo Junqueira, diretor de vendas da Massey Ferguson.

Destaque na Abertura Oficial da Colheita do Arroz, a colheitadeira híbrida MF 6690 (265 cv) possui motor eletrônico AGCO Power com o sistema iEGR (Recirculação dos Gases de Exaustão). A máquina proporciona maior rendimento e menor consumo de combustível, com aumento de produtividade, grãos mais limpos e inteiros no tanque e menos paradas para manutenção. O sistema de trilha, robusto e de alta inércia, possui capacidade para operar em qualquer condição, reduzindo o esforço da máquina e garantindo economia de até 25% de combustível por tonelada colhida. O modelo pode ser equipado com plataforma draper de 25 pés, utilizado também para a colheita de soja.

Disponível para test drive na 28ª edição da Abertura Oficial da Colheita do Arroz, o trator MF 6713 Cabinado (135 cv) possui a maior capacidade de levante da categoria com 4.950Kg, para a realização de trabalhos com implementos mais pesados e com excelente vazão hidráulica. A transmissão sincronizada 12×12 com reversão mecânica ou eletro-hidráulica aumenta a agilidade nas manobras e facilita a operação. A versão cabinada foi desenvolvida para assegurar mais conforto operacional para o operador durante a jornada de trabalho.

Já o trator MF 7725 Dyna-6 (250 cv), também disponível para test drive, vem preparado para receber piloto automático, é equipado com sistema hidráulico de três pontos dianteiro e traseiro, telemetria, além de motor eletrônico. Com transmissão Powershift, o condutor não precisa mais utilizar a embreagem para realizar a troca de marchas e a reversão do movimento de frente e ré, garantindo ao operador o máximo em eficiência com o mínimo esforço.

BASF mostra como conduzir uma lavoura para obtenção de altas produtividades durante a Abertura Oficial da Colheita do Arroz

  • As soluções BASF foram utilizadas no manejo da área de arroz a ser colhida no evento
  • Sistema Clearfield® oferece mais rentabilidade por área colhida com lavouras de melhor qualidade e mais produtivas

A BASF estará presente na 28ª edição da Abertura Oficial da Colheita de Arroz, que ocorre entre os dias 21 e 23 de fevereiro no município de Cachoeirinha (RS). O evento, realizado pela Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), tem como objetivo compartilhar informações de qualidade como tendências de mercado e safra, além de mostrar as novidades tecnológicas aos agricultores.

Pelo segundo ano consecutivo será demonstrado os benefícios da rotação do cultivo da soja com o arroz em áreas de várzea, uma tendência no setor. Essa prática, iniciada e utilizada pelos arrozeiros nos últimos anos já está consolidada e, além de ser uma alternativa de renda, também contribui para o manejo de resistência de plantas daninhas.

Todos os tratos culturais na área de arroz que será colhida durante o evento foram feitos com as soluções da oferta BASF. Destaque para o Sistema de Produção Clearfield®, tecnologia desenvolvida em parceria com o Instituto Rio Grandense do Arroz (IRGA), para o controle do arroz vermelho e outras importantes plantas daninhas. O Sistema de Produção combina a cultivar IRGA 424 CL com a utilização dos herbicidas Only® e Kifix®.

“O Clearfield® permite que o produtor otimize seus recursos e melhore a qualidade e produtividade das lavouras. Sem essa tecnologia, certamente grandes áreas de arroz estariam inviabilizadas devido a ocorrência do arroz vermelho, uma das principais plantas daninhas do cultivo e que pode causar perdas de até 1 milhão de toneladas de grãos”, afirma Vitor Bernardes, gerente de Marketing Arroz da BASF.

O Sistema Clearfield® tem gerado resultados positivos nas lavouras de arroz. A tecnologia da BASF permitiu que nos últimos 15 anos os agricultores do Rio Grande do Sul, maior produtor brasileiro de arroz, passassem de uma produtividade média de 5 para aproximadamente 8 mil kg/ha.

Atualmente, mais de 80% das áreas de arroz no Brasil utilizam o Sistema de Produção Clearfield®. Para ter mais eficiência e assegurar a sustentabilidade da produção, a BASF recomenda o uso de sementes certificadas, a rotação de cultivos e a adoção do Programa de Monitoramento nas lavouras, bem como o uso planejado da tecnologia Clearfield®.

Segurança Alimentar

No dia 21 de fevereiro, às 14 horas, Roberto Araújo, gerente de Comunicação, Marketing Digital e Sustentabilidade da BASF para a América Latina, participará do painel “Manejo Responsável de Defensivos – Uma Abordagem de Segurança Alimentar e Garantia de Mercado”.

“Somente no setor agro, a BASF investe todo o ano mais de 500 milhões de euros em pesquisa e desenvolvimento de soluções que tragam benefícios e segurança ao produtor, meio ambiente e consumidores. Isso reforça o comprometimento da empresa com a agricultura e com um futuro mais sustentável”, destaca Roberto Araújo.

Sobre 28ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz

Onde: Estação Experimental do Arroz – IRGA | Rua Bonifácio Carvalho Bernardes, 1494 – Vila Carlos Antonio Wilkens | Cachoeirinha

Data: 21 a 23 de fevereiro de 2018

Website: http://www.federarroz.com.br/colheita/

Prezado jornalista, favor contatar a BASF, por meio de sua área da Comunicação Corporativa, em caso de informações sobre os produtos e sua correta aplicação. Uso exclusivamente agrícola. Aplique somente as doses recomendadas. Descarte corretamente as embalagens e restos de produtos. Incluir outros métodos de controle do programa do Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponíveis e apropriados. Os produtos mencionados estão devidamente registrados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento sob os números: Kifix® nº 07907 e Only® nº 05203.     

Sobre a Divisão de Proteção de Cultivos da BASF

Com uma população em rápido crescimento, o mundo está cada vez mais dependente da nossa capacidade de desenvolver e manter uma agricultura sustentável e ambientes saudáveis. A divisão de Proteção de Cultivos da BASF trabalha com agricultores, profissionais agrícolas e especialistas em manejo de pragas para ajudar a tornar isso possível. Com a cooperação desses parceiros, a BASF é capaz de sustentar um robusto pipeline de P&D, um portfólio inovador de produtos e serviços e equipes de peritos no laboratório e em campo para apoiar nossos clientes no sucesso dos seus negócios. Em 2016, a divisão de Proteção de Cultivos da BASF gerou vendas de mais de € 5,6 bilhões. Para obter mais informações, visite-nos em www.agro.basf.com ou por meio de nossos canais de mídias sociais.

Sobre a BASF

Na BASF, nós transformamos a química para um futuro sustentável. Nós combinamos o sucesso econômico com a proteção ambiental e responsabilidade social. O Grupo BASF conta com aproximadamente 114 mil colaboradores que trabalham para contribuir com o sucesso de nossos clientes em quase todos os setores e países do mundo. Nosso portfólio é organizado em 5 segmentos: Químicos, Produtos de Performance, Materiais e Soluções Funcionais, Soluções para Agricultura e Petróleo e Gás. A BASF gerou vendas de mais de € 58 bilhões em 2016. As ações da BASF são comercializadas no mercado de ações de Frankfurt (BAS), Londres (BFA) e Zurich (AN). Para mais informações, acesse: www.basf.com.br.

Abertura Oficial da Colheita de Arroz chega a 28ª edição com máquinas New Holland

Evento em Cachoeirinha (RS) terá ainda a presença das concessionárias Super Tratores, Agrofel, Líder Tratores, Fortral e Comin

A New Holland Agriculture e cinco concessionárias da marca estarão entre os dias 21 e 23 de fevereiro na 28ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz no Rio Grande do Sul. O evento, referência do setor arrozeiro na América Latina, será realizado em Cachoeirinha, município localizado a 19 quilômetros de Porto Alegre. Dia 23, a colheita simbólica será feita com uma máquina da New Holland.

No estande da marca estarão em exposição a colheitadeira TC e os tratores TL, T6 e T7, com as concessionárias Super Tratores, Agrofel, Líder Tratores, Fortral e Comin. O Rio Grande do Sul é o maior produtor de arroz do Brasil, com estimativa para 2018 de 8,2 milhões de toneladas, de acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Segundo Rafael Stein, especialista de Marketing da New Holland Agriculture, virou tradição a marca participar do evento. “A Abertura Oficial da Colheita do Arroz é um evento único. Ela representa o produto mais tradicional do prato brasileiro somado à experiência gaúcha na mecanização agrícola.”

Nos três dias de evento, na Estação Experimental do Arroz, haverá uma programação técnica aos produtores rurais. No dia 22 (quinta-feira), às 14h, a New Holland participa do painel “Por que o Brasil? Visão dos executivos das principais marcas”.

Sobre a New Holland Agriculture
A marca, pertencente à CNH Industrial, é especialista no sucesso de agricultores, pecuaristas, locadores e profissionais da agricultura, seja qual for o segmento em que eles atuem. Seus clientes podem contar com a mais ampla oferta de produtos e serviços inovadores: uma linha completa de equipamentos, tratores, colheitadeiras, pulverizadores e plantadeiras, além de equipamentos específicos para biomassa e silvicultura, complementada por serviços financeiros feitos sob medida e planejados por especialistas em agricultura.

Visite www.cnhpress.com e cadastre-se para receber e solicitar informações sobre a New Holland, além de ter acesso a todas as fotos dos produtos em alta resolução. Marca nas mídias sociais: @NewHollandBrasil (Instagram), NewHollandNews (Youtube) e NewHollandAgBrasil (Facebook).

Assessoria de imprensa New Holland Agriculture
Luis Fernando Duarte
(41) 3018-3377 / (41) 9 9685-5997

luisfernando@pg1com.com

Seguro rural garante proteção para lavouras de arroz

Há quatro anos, Tovese Corretora de Seguros oferece em conjunto com a Federarroz programa específico para orizicultores

O seguro rural nas lavouras vem sendo uma ferramenta fundamental para a proteção dos investimentos do produtor. As variações climáticas durante todo o período da safra, passando pelo plantio, pela formação das plantas até chegar na colheita, podem atrapalhar a vida do produtor rural. Com isso, os programas de seguro agrícola vem ganhando força no país e ainda existe espaço para o crescimento do setor.

Para o setor arrozeiro, a Tovese Corretora de Seguros em conjunto com a Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) e a AgroBrasil criaram o Arroz Protegido, que há quatro anos busca proteger o produtor de fenômenos climáticos, como granizo e vendaval. Além disso, o programa também prevê a cobertura de replantio por excesso de chuva ou inundação da lavoura. “Ao longo do tempo conseguimos reduzir ao máximo os prejuízos dos produtores. É preciso avançar rapidamente na contratação dos seguros para as lavouras. Tanto mais lavouras seguradas menos problemas o setor terá para administrar em futuros eventos climáticos”, observa o diretor da Tovese, Otavio Simch.

O especialista lembra que o produtor, na hora de contratar o seguro rural, deve buscar entender o que está contratando e como vai funcionar o pagamento do sinistro. “É comum o produtor olhar apenas o que vai pagar e esquece o que está sendo coberto. O produtor precisa ficar atento para identificar a melhor proposta. O seguro da lavoura precisa ser olhado como investimento, assim como qualquer tratamento cultural ou de assistência técnica”, explica o diretor da Tovese.

Durante a 28ª edição da Abertura Oficial da Colheita do Arroz, que ocorre de 21 a 23 de fevereiro na Estação Experimental do Arroz, do Instituto Rio Grandense do Arroz, em Cachoeirinha (RS), a Tovese Corretora de Seguros estará em seu estande esclarecendo aos produtores participantes do evento questões relativas ao seguro rural. Conforme os indicadores do Atlas de Seguro Rural, do Ministério da Agricultura, a área segurada de arroz no país, em 2017,  foi de 158,08 mil hectares, sendo 113,05 mil hectares no Rio Grande do Sul, maior produtor do grão no Brasil. Santa Catarina é o segundo Estado em seguro de lavouras de arroz com 41,45 mil hectares.

Foto: Fagner Almeida/Divulgação

Mais informações sobre a Tovese

Site: www.tovese.com.br
Facebook: www.facebook.com/tovesecorretoradeseguro

Contato

AgroEffective
Assessoria de Comunicação da Tovese Corretora de Seguros

Nestor Tipa Júnior: (51) 99935.9427
nestor@agroeffective.com.br

Rejane Costa: (51) 99850.2786
rejane@agroeffective.com.br

Site: www.agroeffective.com.br
Facebook: www.facebook.com/agroeffective
Twitter: @agroeffective
Instragram: @agroeffective