Abertura da Colheita do Arroz em 2020 investe na busca de soluções ao produtor

A Abertura Oficial da Colheita do Arroz, que chega a sua 30ª edição, ocorrerá entre 12 e 14 de fevereiro de 2020 na Estação Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS), com o tema “Intensificação para Sustentabilidade”. O evento é uma excelente oportunidade para que os produtores possam ter acesso a todos os principais temas que influenciam nos resultados das suas atividades produtivas.

O presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, salienta que em nenhum outro evento o produtor tem a chance de ter acesso no mesmo local a uma diversidade tão grande de informações focadas nas demandas de quem produz em terras baixas. Além disso, é um momento ímpar de trocar experiências com produtores de outras regiões do Rio Grande do Sul, de outros estados brasileiros e também com produtores e pesquisadores de outros países.

Um exemplo de oportunidade de obter informações altamente qualificadas e “na prática”, é o Roteiro Técnico, que ocorrerá nos turnos da manhã e contará com 34 vitrines tecnológicas de 20 empresas e instituições de pesquisa e ensino, dentre as que mais investem recursos em tecnologia no setor arrozeiro mundialmente. De acordo com o coordenador do Irga Zona Sul, André Matos, na parte das vitrines tecnológicas, a área principal de arroz segue com as mesmas cultivares.do ano passado, BRS Pampa CL e IRGA 431 CL, junto com um lançamento da Basf, Memby Porã. “Já na vitrine principal de soja haverá uma parte cultivada com arroz e irrigada por pivô”, observa, destacando que também terá uma presença mais enfática da pecuária com um gado no pasto em uma área preparada desde o inverno.

A programação de palestras também será uma ótima oportunidade de atualização – na quarta-feira, dia 12 de fevereiro, no período da tarde, ocorrerá o Fórum Técnico e na quinta-feira, dia 13, será a vez do Fórum de Mercado. Fazem parte da agenda de palestras temas absolutamente estratégicos para a Sustentabilidade do produtor de grãos em terras baixas, como: exportação, inovação, empreendedorismo, economia, novas tecnologias, gestão de pessoas, entre outros. Na área técnica, o produtor que ganhou o prêmio nacional de produtividade em soja (CESB 2018/2019), contará ao público presente a sua experiência como produtor. Isso tudo em paralelo com a Feira de Produtos e Serviços.

Outro momento marcante durante a Abertura da Colheita do Arroz é a Entrega dos Prêmios “Pá do Arroz”, ocasião onde são reconhecidas pessoas e instituições que agregaram de forma positiva ao desenvolvimento da lavoura arrozeira e/ou tiveram performances de altas produtividades e colocaram a inovação em prática. Para fazer o encerramento do evento, na sexta-feira à tarde, há o Ato Simbólico da Abertura Oficial da Colheita do Arroz, transmitido em rede nacional, com a cobertura da imprensa especializada e com a representatividade das esferas municipais, estaduais e federais.

Conforme o presidente da entidade, o evento será uma grande oportunidade para a busca de conhecimento referente às soluções dentro da porteira. “A expectativa é de superar o evento de 2019 que já foi marcante pela grande presença de público, com mais de sete mil pessoas percorrendo os espaços da Abertura da Colheita do Arroz. Nós esperamos trazer ainda mais oportunidades e conhecimento para que o produtor tenha soluções e busque cada vez mais um negócio rentável na sua atividade”, salienta.

A Abertura Oficial da Colheita do Arroz é uma realização da Federarroz, que neste ano completa 30 anos de atividades, com correalização da Embrapa e patrocínio Premium do Irga. Confira a programação completa no site do evento www.colheitadoarroz.com.br.

Abertura da Colheita do arroz tem lançamento na Zona Sul do Estado

A Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) realizou nesta sexta-feira, dia 11 de outubro, em Pelotas (RS), o lançamento para a região Sul da 30º Abertura Oficial da Colheita do Arroz. A cerimônia ocorrida na Associação Rural de Pelotas durante a 93ª edição da Expofeira do município contou com a presença de autoridades e representantes de entidades apoiadoras e empresas patrocinadoras.

A expectativa para o evento, que ocorrerá de 12 a 14 de fevereiro de 2020 na Embrapa Terras Baixas, em Capão do Leão (RS), com o tema “Intensificação para a Sustentabilidade”, é muito grande, de acordo com o vice-presidente da Federarroz, Roberto Fagundes, lembrando que o evento é a maior abertura de grãos do país e que na edição passada, com o apoio dos produtores e da comunidade da região, além das empresas e entidades participantes, mais de 7 mil pessoas passaram pelo local em três dias de evento, oportunizando troca de informações e conhecimento. Destacou também as novidades para 2020, como irrigação por pivô e parcelas de integração lavoura-pecuária. “Entendemos que temos que sair da monocultura produzindo outros grãos como soja, milho e também investir em armazenagem, florestamento e pecuária para nos dar maior sustentabilidade no nosso agronegócio. Estaremos com as principais empresas que investem em tecnologias e com as instituições de pesquisa e ensino, todas elas com agendas positivas para que possamos nos manter dentro do nosso sistema produtivo”, observou..

Estiveram presentes ao lançamento da 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz a prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, além dos presidentes da Associação Rural, Carolina Osório, e do Sindicato Rural do município, Fernando Rechsteiner, assim como o presidente do Irga, Guinter Frantz, o chefe-geral da Embrapa Clima Temperado, Clenio Pillon, o vice-presidente da Farsul, Fábio Avancini, e o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pelotas, Nilson Loeck, representando a Fetag/RS. O evento é uma realização da Federarroz com co-realização da Embrapa e apoio do Irga.

Inovação marca o início do plantio da área da Abertura da Colheita do Arroz

Foi iniciada nesta semana a semeadura da área que acolherá a 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas, com o plantio da área principal e preparação de terrenos adjacentes. O evento acontecerá de 12 a 14 de fevereiro de 2020 na Estação Terras Baixas, da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS), e trará como enfoque temas como intensificação e sustentabilidade, ao incentivar a busca da integração do arroz com a cultura de soja e com a pecuária.

Como no ano passado, a área vai ser dividida entre duas cultivares: a Irga 431 CL, do Instituto Riograndense do Arroz, e a BRS Pampa CL, produzida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Ao lado, haverá uma expansão do espaço reservado às pastagens para pecuária, e será feita a instalação de um pivô para irrigação do arroz. O presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, destaca que esta é uma grande inovação, pois o equipamento, que normalmente é utilizado nas lavouras de soja, será usado também para o arroz. “O evento é uma ótima oportunidade que os produtores têm de buscar informação, trocar experiências e acompanhar os lançamentos das empresas. Queremos mostrar que existem alternativas que trazem segurança e sustentabilidade para a cultura de arroz”, afirma.

Para o dirigente, o futuro passa por se explorar atividades que vão além da monocultura. “A alternância com a soja pode reduzir o custo de produção em 15%, e aumentar a produtividade na faixa de 10% a 20%”, ressalta, acrescentando que cada propriedade tem as suas características e, portanto, cada uma deve implantar o melhor sistema dentro das próprias capacidades. “Queremos que o produtor visualize oportunidades e caminhos”, reforça.

Conforme o coordenador do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) da Zona Sul, André Matos, além da área principal também serão semeadas nas próximas semanas as vitrines tecnológicas das empresas, que terão lavouras demonstrativas para compor o roteiro dos produtores que buscam informações e novidades no setor. “Destacamos nosso esforço em fazer uma Abertura ainda melhor e mais caprichada, que traga conhecimentos complementares e seja de utilidade ao produtor”, comenta. Matos destaca ainda a participação da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), que apresentará seus estudos e soluções para a cadeia arrozeira.

No próximo dia 11 de outubro, será realizado o lançamento da Abertura Oficial da Colheita do Arroz durante a Expofeira de Pelotas, a partir das 15h, na sede da Associação Rural de Pelotas, no parque Ildefonso Simões Lopes. A Abertura Oficial da Colheita do Arroz é uma promoção da Federarroz com co-realização da Embrapa e apoio do Irga. O evento possui o objetivo de desenvolver o setor orizícola, reunindo produtores, colaboradores, autoridades, entidades e empresas do agronegócio do arroz, com a finalidade de mostrar os avanços científicos e discutir a realidade socioeconômica do setor em nível nacional e internacional.

Foto: André Matos/Divulgação

Programação paralela destaca desafios na cadeia produtiva do arroz

A 29ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz que será realizada de 20 a 22 de fevereiro, na Estação Experimental Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS), na região de Pelotas (RS), vai contar com uma intensa programação composta por fóruns técnico e de mercado, além de palestras, oficinas, vitrines tecnológicas, feiras e dinâmicas de equipamentos. O evento deste ano tem como tema “Matriz Produtiva: Atividade Diversificada, Renda Ampliada”.

O ano de 2019 será de grandes desafios na cadeia produtiva do arroz devido aos graves problemas pelos quais o setor atravessa e também porque estará na pauta a reforma tributária. A afirmação é do presidente da Câmara Setorial Nacional do Arroz, Daire Coutinho. No próximo dia 20, a Câmara vai se reunir durante a Abertura Oficial da Colheita do Arroz para debater as demandas do setor produtivo. Segundo Coutinho, o setor precisa de algumas decisões tributárias pois vem sofrendo com a entrada de arroz importado do Mercosul, principalmente o setor produtivo. “Entendo que não existe cadeia produtiva forte sem que os elos tenham força. Então a manutenção da qualidade econômica de todos os elos da cadeia é muito importante. E o setor produtivo passando por esta crise é motivo de enfraquecimento da cadeia como um todo”, afirma.

Coutinho sinaliza que também uma das discussões importantes durante a reunião será a questão do quadro de oferta e demanda em razão dos prejuízos que aconteceram na lavoura com os eventos climáticos. Salienta que a Câmara Setorial Nacional do Arroz realizou um trabalho anteriormente mostrando quais eram os pontos principais a serem discutidos e a previsão é de que nesta reunião sejam fechadas todas as demandas da cadeia produtiva junto ao novo governo. “Como tem acontecido nos últimos anos, deveremos ter uma acalorada discussão a respeito de todas as necessidades do setor produtivo, com a presença de todos os membros da Câmara Setorial. Já temos algumas confirmações de participação tanto do setor produtivo como do setor industrial do Centro do país. Portanto, será o momento e o lugar de discutirmos todas as questões que envolvem a lavoura de arroz, indústria e comercialização”, informa.

As novas tecnologias também estarão presentes na Abertura Oficial da Colheita do Arroz. Nos dias 20 e 21 de fevereiro será realizada palestra na Carreta da Farsul com o tema: Startups conectando produtores: Tecnologia de pulverização seletiva. O engenheiro elétrico e sócio da Eirene Solutions, Gabriel Borges, vai explicar como funciona um sistema de câmaras desenvolvido pela startup de Porto Alegre (RS), a ser instalado em pulverizadores terrestres. O sistema analisa o solo e quando é necessário ativa a pulverização. “No método atual de pulverização, por exemplo, é pulverizado 100% da área, tendo planta ou não. Com esse sistema de câmeras instalados em veículos pulverizadores, a pulverização ocorre somente onde tem planta. À medida em que o veículo se desloca os bicos de pulverização abrem ou fecham. As câmeras detectam o que é erva daninha, o que é cultivo e o que é solo”, explica.

Também nos dias 20 e 21, ocorrerá uma oficina de Produção de Alimentos à Base de Arroz e Derivados, com a nutricionista e instrutora de curso do Senar/RS, Marjana Teresinha de Mattos Favin. Ela irá abordar a importância do arroz na dieta humana. O arroz é um alimento saudável e completo, sendo uma das principais fontes de carboidratos, substâncias orgânicas que fornecem energia ao organismo, além de contribuírem para a restauração e o desenvolvimento dos tecidos. Conforme Marjana, o cereal é uma boa fonte de sais minerais e vitaminas, além de não conter colesterol e glúten, e ser rico em fibras. “Nas oficinas aproveitamos para divulgar a farinha de arroz e apresentar as receitas, permitindo que os participantes possam ver a elaboração das mesmas”,explica.

A programação paralela da 29ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz contará ainda com visita guiada no espaço da Embrapa intitulada Coleção de Plantas Forrageiras e Integração Lavoura Pecuária, palestra no stand do Irga sobre os Benefícios do Arroz para a Saúde e também um Seminário Técnico, Sindag na Estrada – Encontro da Aviação Agrícola, palestra sobre Projeções Climáticas para 2019/2020 com a Somar Meteorologia e Noite Irga & Simularroz, na Vitrine do Irga.

O evento conta com Patrocínio Premium do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, correalização da Embrapa e é uma realização da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz). A programação completa está no site www.colheitadoarroz.com.br

Abertura Oficial da Colheita do Arroz tem data e local definidos

Os trabalhos para a 29ª edição da Abertura Oficial da Colheita do Arroz já estão em andamento. O evento, organizado pela Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), vai ocorrer de 20 a 22 de fevereiro de 2019 na sede da Embrapa Terras Baixas, em Capão do Leão (RS), próxima à Pelotas, e terá como tema “Matriz Produtiva – Atividade Diversificada, Renda Ampliada”, que vai discutir as oportunidades e cenários para a cultura do arroz e alternativas para aumentar a rentabilidade da lavoura.

Conforme o vice-presidente da Federarroz, Alexandre Velho, a escolha do local para a próxima edição passou por uma pesquisa com as empresas que tradicionalmente participam do evento. Informa também que a organização já está realizando melhorias no local. “A área da Embrapa já foi sistematizada e já foi colocado calcário para correção do solo. Estamos trabalhando fortemente na questão de estrutura e drenagem, além das melhorias do local. Pretendemos fazer um grande evento durante a Abertura Oficial da Colheita do Arroz”, ressalta.

Para o chefe geral da Embrapa Clima Temperado, Clenio Pillon, este é um dos principais eventos para a cadeia do arroz e será uma oportunidade de demonstrar o trabalho realizado pela entidade. “Esta Abertura da Colheita permite a abertura de um espaço institucional muito grande para quem sedia e acolhe o evento. É importante esta aproximação com os produtores e as lideranças do setor para que possamos cada vez mais mostrar o que fazemos em prol da sustentabilidade do setor arrozeiro, que é fundamental para a economia gaúcha”, observa.

A implantação das lavouras para o evento estão sendo feitas pelo Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga). Conforme o coordenador Regional do Irga na Zona Sul, André Matos, o trabalho seguirá um planejamento de implantação das culturas do arroz e da soja. “Iniciamos o preparo no mês de abril. A área se encontra com correção realizada e esperando a semeadura das vitrines tecnológicas que se iniciam no mês de setembro com o arroz e depois com a soja planejada para outubro”, explica.

O evento deve reunir as principais empresas e entidades do setor agropecuário brasileiro, trazendo inovações e tecnologias para a lavoura arrozeira, além de soja, milho e pastagens que estarão a mostra nas tradicionais vitrines tecnológicas. No próximo dia 4 de julho uma reunião entre as empresas participantes do espaço será realizada para apresentar o local e o planejamento da Abertura Oficial da Colheita do Arroz.

Seguro rural garante proteção para lavouras de arroz

Há quatro anos, Tovese Corretora de Seguros oferece em conjunto com a Federarroz programa específico para orizicultores

O seguro rural nas lavouras vem sendo uma ferramenta fundamental para a proteção dos investimentos do produtor. As variações climáticas durante todo o período da safra, passando pelo plantio, pela formação das plantas até chegar na colheita, podem atrapalhar a vida do produtor rural. Com isso, os programas de seguro agrícola vem ganhando força no país e ainda existe espaço para o crescimento do setor.

Para o setor arrozeiro, a Tovese Corretora de Seguros em conjunto com a Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) e a AgroBrasil criaram o Arroz Protegido, que há quatro anos busca proteger o produtor de fenômenos climáticos, como granizo e vendaval. Além disso, o programa também prevê a cobertura de replantio por excesso de chuva ou inundação da lavoura. “Ao longo do tempo conseguimos reduzir ao máximo os prejuízos dos produtores. É preciso avançar rapidamente na contratação dos seguros para as lavouras. Tanto mais lavouras seguradas menos problemas o setor terá para administrar em futuros eventos climáticos”, observa o diretor da Tovese, Otavio Simch.

O especialista lembra que o produtor, na hora de contratar o seguro rural, deve buscar entender o que está contratando e como vai funcionar o pagamento do sinistro. “É comum o produtor olhar apenas o que vai pagar e esquece o que está sendo coberto. O produtor precisa ficar atento para identificar a melhor proposta. O seguro da lavoura precisa ser olhado como investimento, assim como qualquer tratamento cultural ou de assistência técnica”, explica o diretor da Tovese.

Durante a 28ª edição da Abertura Oficial da Colheita do Arroz, que ocorre de 21 a 23 de fevereiro na Estação Experimental do Arroz, do Instituto Rio Grandense do Arroz, em Cachoeirinha (RS), a Tovese Corretora de Seguros estará em seu estande esclarecendo aos produtores participantes do evento questões relativas ao seguro rural. Conforme os indicadores do Atlas de Seguro Rural, do Ministério da Agricultura, a área segurada de arroz no país, em 2017,  foi de 158,08 mil hectares, sendo 113,05 mil hectares no Rio Grande do Sul, maior produtor do grão no Brasil. Santa Catarina é o segundo Estado em seguro de lavouras de arroz com 41,45 mil hectares.

Foto: Fagner Almeida/Divulgação

Mais informações sobre a Tovese

Site: www.tovese.com.br
Facebook: www.facebook.com/tovesecorretoradeseguro

Contato

AgroEffective
Assessoria de Comunicação da Tovese Corretora de Seguros

Nestor Tipa Júnior: (51) 99935.9427
nestor@agroeffective.com.br

Rejane Costa: (51) 99850.2786
rejane@agroeffective.com.br

Site: www.agroeffective.com.br
Facebook: www.facebook.com/agroeffective
Twitter: @agroeffective
Instragram: @agroeffective

Abertura da Colheita do Arroz terá espaço para encontros paralelos

Além dos Fóruns Técnico e Mercadológico e das vitrines tecnológicas, outras palestras e debates fazem parte da programação da 28ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz, que ocorre de 21 a 23 de fevereiro na Estação Experimental do Arroz, do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), em Cachoeirinha (RS). O evento, organizado pela Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) também receberá a tradicional reunião da Câmara Setorial do Arroz, que geralmente ocorre em Brasília (DF), mas todo ano uma edição do encontro é realizada dentro da programação da Abertura da Colheita e que acontecerá no dia 21 de fevereiro pela manhã.

De acordo com o presidente da Câmara Setorial do Arroz, Daire Coutinho, em 2017 foi realizado um trabalho forte em busca do mercado internacional para o arroz brasileiro e a solução dos entraves comerciais e sanitários para que o produto efetivamente pudesse participar das rodadas internacionais. “Neste aspecto tivemos por parte do Ministério da Agricultura e da Secretaria de Relações Internacionais uma boa acolhida aos nossos pleitos. Evidentemente ficamos restritos em função das organizações internas e as barreiras que são criadas para entrar nestes mercados. Se planeja para 2018 a mesma atitude pois precisamos inserir o nosso produto no maior número de mercados possíveis”, destaca.

Coutinho salienta que a entrada do arroz do Mercosul, especialmente do Paraguai, e as diferenças de custo de produção e tributárias, estarão em pauta na Câmara Setorial. O dirigente ressalta também que outra atitude do órgão foi o de mostrar ao governo as dificuldades e entraves do setor, especialmente de custos e a questão tributária. “Nossa medida prioritária para 2018 tem em uma das questões o acompanhamento da reforma tributária, além da equação do ICMS interno. Estamos apoiando integralmente o ICMS igualitário para a cesta básica, projeto da senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS). Esta é uma prioridade para 2018, além da comercialização da safra onde todo o ano passado tivemos focados para conseguir os recursos anunciados recentemente pelo governo federal”, aponta.

Outro destaque da programação será a palestra sobre os benefícios do arroz para a saúde, seguida da oficina de manipulação da farinha de arroz e reaproveitamento do Cereal, nos dias 21 e 22 de fevereiro às 10h. Ministram a palestra a nutricionista do Irga, Carolina Pitta, e a vice-presidente da Associação dos Celíacos do Brasil (Acelbra), Ester Benatti. Segundo Carolina, o Programa de Valorização do Arroz (Provarroz), organizado pelo Irga, vai valorizar a expertise das produtoras que já têm conhecimento sobre as qualidades do grão, mas talvez desconheçam as funcionalidades e a versatilidade da farinha, “que pode ser utilizada nos preparos diários na residência e também como uma oportunidade de geração de renda extra para as famílias”, explica.

A 28ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz conta com o patrocínio Premium do Irga, Master de Basf, Case, New Holland, John Deere e Massey Ferguson, Ouro de Banco do Brasil e Sicredi, e Prata de Banrisul, Caixa, Bellenzier Pneus/Pirelli e Badesul. As inscrições podem ser feitas gratuitamente na entrada do evento. Mais informações podem ser obtidas em www.colheitadoarroz.com.br.

Foto: Fagner Almeida/Divulgação