Destaques da lavoura de arroz recebem distinção durante a Abertura da Colheita

Como todo ano, um dos momentos mais esperados da Abertura Oficial da Colheita do Arroz é a noite dos homenageados. Nesta 30ª edição do evento, organizado pela Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), serão realizadas na noite de quinta-feira, 13 de fevereiro, distinções especiais com a reconhecida pá que é entregue anualmente à orizicultores que estão trabalhando em soluções para o setor.

De acordo com o presidente da Federarroz, Alexandre Velho, este é um reconhecimento às pessoas que fazem a diferença dentro da lavoura de arroz. “Os homenageados da Abertura da Colheita são pessoas que se destacaram no meio arrozeiro no último ano e fazem a diferença tanto pela competência de seus trabalhos quanto pelo destaque no setor e são referências para que outros produtores saibam que tem gente buscando inovação, eficiência, sistemas de produção”, observa.

O dirigente lembra também do apoio técnico e político de diversas pessoas, que também recebem a distinção durante o evento. “Temos técnicos estaduais, federais e agrônomos que contribuem muito para a lavoura de arroz e a busca incessante para trazer alternativas para trazer sustentabilidade ao setor arrozeiro. Outros se destacaram pela importância ao segmento do arroz e aos diversos temas para esta cultura tão importante para o Rio Grande do Sul e o Brasil”, destaca.

Velho reforça também que esta pá é motivo de orgulho para todos que a recebem, pois representa um símbolo da lavoura orizícola e muito valorizado em razão do que ela significa.” As pessoas que vão receber neste ano fizeram a diferença em termos de novidade, inovação, empreendedorismo e dedicação”, conclui.

A 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz ocorre de 12 a 14 de fevereiro na Estação Experimental Terras Baixas, da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS). O tema este ano é “Integração Para a Sustentabilidade”. O evento é uma realização da Federarroz com correalização da Embrapa e Patrocínio Premium do Instituto Rio Grandense do Arroz. Informações sobre a programação podem ser obtidas em www.colheitadoarroz.com.br.

Confira os homenageados

Lavoura Nota 10: Gustavo Ayub Lara
Produtor Zona Sul: Ricardo Teixeira Gonçalves da Silva
Produtor Planície Costeira Externa: André Azevedo Velho
Produtor Planície Costeira Interna: Celso Bartz
Produtor Fronteira Oeste: Antônio Ceolin
Produtor Campanha: Elcio José Moro
Produtor Depressão Central: Daniel Hoerbe
Técnica Estadual: Mara Grohs
Técnico Federal: André Andres
Mercado Externo: Gedeão Pereira
Competitividade: Fernando Estima
Amigo da Lavoura: Brigada Militar
Homenagem Especial: Fernando Schwanke
Homenagem Especial: Fernando Rechsteiner
Homenagem Especial: José Carlos Pires

Novidades marcam programação paralela da Abertura da Colheita do Arroz

A programação paralela da 30º Abertura Oficial da Colheita do Arroz será composta por palestras, conversas técnicas, oficinas, feiras e dinâmicas de equipamentos. Neste ano o tema do evento é “Intensificação para a Sustentabilidade”, e ocorre pela segunda vez na Estação Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS), no período de 12 a 14 de fevereiro.

O lançamento da cultivar BRS A705 será um dos destaques da Embrapa dentro do evento. De acordo com o pesquisador da Embrapa Clima Temperado, Giovani Theisen, a programação da autarquia contará com três pontos principais: participação nas Vitrines Tecnológicas, ao lado de outras empresas e do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), conversas técnicas e ações no Espaço Integração Lavoura-Pecuária. Nas Vitrines, serão apresentadas também outras variedades de arroz lançadas pela Embrapa Clima Temperado e Embrapa Arroz e Feijão. São elas: BRS Pampeira, BRS 358, BRS A701 CL e BRS Pampa CL.

Nesta edição, a Embrapa também criou um espaço para bate-papos técnicos, conforme nomeia Theisen. No dia 12 de fevereiro, o tema será sobre o “Controle biológico de insetos aplicados com drones, em soja e milho em rotação com arroz”, a cargo da empresa GeoPlan, de Pelotas. Outro assunto a ser abordado é o “Manejo de bovinos de corte nos sistemas de produção das terras baixas”, com pesquisadores da Embrapa Pecuária Sul. E na mesma data, um pesquisador da Embrapa Soja falará sobre o “Manejo da adubação Potássica e o método Fast-k em soja”.

As conversas técnicas prosseguirão no dia 13 com os temas: “Manejo da irrigação por aspersão em arroz” e “Inoculação com micro-organismos em soja e arroz e a bioeconomia”, ambas a cargo da Embrapa Clima Temperado, “Controle de plantas daninhas em arroz: a experiência norte-americana”, com um pesquisador da Universidade norte-americana de Louisiana, ”PlanejArroz: aplicativo para planejar o manejo e estimar a produtividade do arroz irrigado”, um lançamento da Embrapa, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Irga e Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), e “Novas tecnologias na sistematização do solo em terras baixas”, com pesquisadores da Embrapa Clima Temperado e do INIA, do Uruguai. “A programação está bastante densa, o que ajuda o evento a ficar ainda mais atrativo”, afirma Theisen.

O terceiro ponto da programação da Embrapa na Abertura da Colheita do Arroz, ressaltado pelo pesquisador, é o local ao lado das dinâmicas das máquinas, que está sendo chamado de Espaço Integração Lavoura-Pecuária. “Terão apresentações de diversas opções de forrageiras de verão, assim como animais pastejando”, conta, salientando que os colegas da Embrapa estarão orientando e dando dicas sobre as forrageiras e o manejo da integração lavoura pecuária em terras baixas.

Na unidade móvel do Senar/RS dentro do evento, a administradora Franciele Tais Linck, fundadora da Moeda da Terra e com MBA Executivo em Economia e Gestão do Agronegócio pela Fundação Getúlio Vargas, vai proferir palestra sobre “Formação do Preço da Soja e Estratégias de Comercialização”. Segundo a especialista, basicamente a palestra busca dar um entendimento sobre o mercado da soja e como ele pode impactar na rentabilidade do produtor..”O foco será explicar como se dá o processo de formação do preço da soja, qual a relação entre Chicago, prêmio e dólar. Quais os fatores que influenciam para que subam ou baixem”, destaca.

De acordo com Franciele, é importante que o agricultor consiga escutar as notícias e trazê-las para a sua realidade, percebendo qual o impacto em reais por saca de soja. “O produtor deve conhecer o seu custo de produção, saber determinar a margem de lucro que pretende e a partir daí traçar estratégias de comercialização para reduzir riscos”, observa.

Entre os eventos que marcarão a programação paralela da Abertura da Colheita do Arroz, está o da FieldCrops, uma equipe de pesquisa agronômica multi-institucional e multidisciplinar. No dia 13, em frente à Vitrine Tecnológica do Irga, os professores Alencar Zanon e Filipe Selau, integrantes da equipe, irão ministrar uma palestra sobre “Viabilidade e sustentabilidade da soja em rotação com arroz”. Além disto, como já ocorre tradicionalmente, a reunião da Câmara Setorial do Arroz vai dominar o debate na manhã do dia 12 de fevereiro. E no dia 13 de fevereiro, às 10h, ocorrerá palestra realizada pela Tecon Rio Grande.

A 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz é uma realização da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) com correalização da Embrapa e patrocínio Premium do Irga. Confira a programação completa no site do evento www.colheitadoarroz.com.br.

Foto: Fagner Almeida/Divulgação

Arrozeiros miram mercado externo para ampliar competitividade do setor

Cerca de 140 municípios gaúchos possuem como principal atividade econômica o cultivo do arroz e a prática da cultura é responsável pela geração de 20 mil empregos diretos. Este ano, os produtores foram responsáveis por 940 mil hectares de área plantada e que deve chegar a 7,5 mil quilos de produtividade. Os números foram destacados nesta terça-feira, 28 de janeiro, na coletiva de imprensa de apresentação da 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz, na sede do evento na Estação Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS). A expectativa para esta edição, de 12 a 14 de fevereiro, é integrar a cadeia produtiva do setor e atrair em torno de 7 mil participantes.

Conhecimento técnico, tecnologias e soluções para tornar o negócio mais rentável estarão em pauta no evento, que este ano tem como tema Intensificação para Sustentabilidade. Segundo o presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, entidade à frente da iniciativa, seis mil produtores e suas famílias dependem do cultivo do cereal no Estado. “Nós temos que, cada vez mais, buscar alternativas, soluções e ter melhor gestão dos nossos negócios”, afirmou, apontando a soja como opção para a redução de custos e aumento na fertilidade de solo.

Novos mercados também estarão no centro dos debates no evento, que contará com roteiro pelas vitrines tecnológicas, fórum técnico e de mercado e feira e dinâmica de equipamentos. “Em março participaremos de uma feira do setor alimentício, em Gualadajara, no México, estreitando relacionamento com empresas interessadas no arroz gaúcho”, adiantou, reforçando que o principal concorrente é os Estados Unidos, que entrega em torno de 800 mil toneladas, por ano, para aquele país. “Os norte-americanos fazem o envio por meio trem, porém produzem cereal híbrido, de menor qualidade se comparado ao nosso”, complementa. “Não podemos perder esta oportunidade. O câmbio nos trouxe competitividade, além da redução da safra nos Estados Unidos e a seca no México”, afirmou.

Na coletiva de imprensa, Velho também salientou que a Federarroz está atenta a possíveis negócios no Panamá e Guatemala. “A busca por novos mercados vai continuar”, complementou. Participaram também da coletiva de imprensa o chefe geral da Embrapa Clima Temperado, Roberto de Oliveira, o coordenador do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) na Zona Sul, André Matos, o presidente do Sindicato Rural de Capão do Leão, Clóvis Vitória, e de Pelotas, Paula Mascarenhas e os representantes da Farsul, Fernando Rechsteiner, e da Fetag/RS, João César Larrosa. O evento é organizado pela Federarroz com correalização da Embrapa e patrocínio Premium do Irga. Mais informações no site www.colheitadoarroz.com.br.

Caravanas levam produtores para participar da Abertura Oficial da Colheita do Arroz

Em torno de 40 caravanas com produtores rurais são esperadas para a Abertura Oficial da Colheita do Arroz, na Estação Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado em Capão do Leão (RS). O evento, que chega a sua 30ª edição, será realizado entre 12 e 14 de fevereiro tem como tema “Intensificação para a Sustentabilidade”.

De acordo com o diretor jurídico da Federarroz, Anderson Belloli, as caravanas estão sendo preparadas juntamente com os sindicatos, associações e o Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga). “No ano passado a iniciativa foi responsável por 30% do público total de sete mil pessoas”, destacou, complementando que o evento atraiu caravanas de Santa Catarina e países do Mercosul, como Argentina e Uruguai. “Acreditamos que, novamente, receberemos caravanas desses locais em Capão do Leão, pois a Abertura da Colheita do Arroz é, irrefutavelmente, o evento da orizicultura nacional e o maior de colheita de grãos produzidos no Brasil”, comparou.

Conforme Belloli, as caravanas são organizadas de acordo com a demanda dos produtores rurais. “Elas têm o condão de potencializar a ida dos produtores rurais na Abertura Oficial da Colheita do Arroz, para que estes busquem novas informações, se atualizem e vejam o que está disponível de mais moderno para o negócio do arroz”, afirmou.

Segundo o diretor jurídico, os visitantes poderão realizar roteiros técnicos e acompanhar debates e fóruns técnicos sobre o setor, entre outros. “Sem as caravanas muitos produtores não teriam condições de participar do evento por residirem muito longe do local, então elas têm a capacidade de potencializar a ida dos mesmos. Aqueles que tiverem interesse devem buscar informações com o seu sindicato, associação local ou junto a Federarroz”, finalizou.

A 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz é uma realização da Federarroz com correalização da Embrapa e patrocínio Premium do Irga. Confira a programação completa no site do evento www.colheitadoarroz.com.br. Os interessados em saber mais sobre a organização das caravanas podem entrar em contato no telefone (51) 3211.0879.

Sindag terá avião agrícola em seu estande na Abertura Oficial da Colheita do Arroz

Participação da aeronave foi confirmada nessa terça (14), depois de uma vistoria técnica para avaliar o espaço e planejar a logística do transporte da aeronave

Em parceria com a empresa Mirim Aviação Agrícola, de Pelotas, o Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) terá um avião agrícola em seu estande na 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz, em Capão do Leão, no Rio Grande do Sul. A informação foi confirmada nessa terça (14), depois de uma vistoria feita por técnicos da Mirim e de representantes da organização do evento no local da mostra. A programação vai ocorrer de 12 a 14 de fevereiro, na Estação Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado. Como o local não tem uma área de pouso, o avião será transportado por terra, de uma pista na região, até o estande do Sindag.

A aeronave será uma das atrações no roteiro das Vitrines Tecnológicas – onde produtores rurais, dirigentes do agro, técnicos e agrônomos, além de autoridades e políticos conhecem de perto as tecnologias, pesquisas e novidades para melhorar a eficiência e sustentabilidade das lavouras. “Estivemos verificando as condições do trajeto e a logística necessária para o transporte”, conta o diretor do Sindag Nelson Coutinho Peña. Sócio-gerente da Mirim, Peña destaca a importância da presença do avião na mostra. “A programação começa no dia 12 e esperamos posicioná-lo já na segunda-feira, dia 10”, completa. Além de ceder o aparelho para a exposição, a empresa também é a principal patrocinadora do estande do Sindag.

DRONES E REALIDADE VIRTUAL

O espaço contará ainda uma mostra de aviação com óculos de realidade virtual, onde os visitantes poderão ter a sensação de estar dentro de uma operação aérea – desde o planejamento até o voo sobre lavouras, passando pela preparação da aeronave.  O estande do sindicato aeroagrícola também vai mostrar ao público drones de pulverização e de dados por imagens. Nesse caso, por conta da Allcomp Geotecnologia e Agricultura, de Porto Alegre – outra parceira no evento.

A Abertura Oficial da Colheita do Arroz é promovida pela Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), em parceria com o Instituto Riograndense do Arroz (Irga). Apesar de historicamente participar do evento, este será o quarto ano em que o Sindag conta com estande nas Vitrines Tecnológicas. E a segunda vez em que leva um avião para a mostra – a primeira foi em 2018, em parceria com a Embraer, na edição ocorrida na Estação Experimental do Irga, em Cachoeirinha.

O Brasil tem a segunda maior frota aeroagrícola do planeta, com cerca de 2,2 mil aeronaves (atrás apenas dos Estados Unidos). No ranking por Estados, o Rio Grande do Sul fica em segundo, com 427 aviões. Além disso, o Estado é berço do setor no Brasil – cujo voo inaugural foi justamente em Pelotas (vizinha a Capão do Leão) em 19 de agosto de 1947.

Irrigação por pivô será novidade nas Vitrines Tecnológicas da Abertura da Colheita do Arroz

As vitrines tecnológicas, tradicional momento de exposição na Abertura Oficial da Colheita do Arroz, mais uma vez apresentarão aos visitantes as novidades e tendências das principais empresas e entidades do setor agrícola para os produtores. Serão 34 espaços de 20 empresas e entidades que mostrarão aos participantes as tecnologias e soluções para as lavouras no evento organizado pela Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), que chega à 30ª edição, e que ocorre de 12 a 14 de fevereiro na Estação Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado em Capão do Leão (RS). O roteiro técnico ocorrerá pela manhã.

Segundo o coordenador do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) na Zona Sul, André Matos, responsável pelo desenvolvimento das lavouras no evento, as vitrines vão apresentar diversas inovações com o lançamento de cultivares e produtos para os produtores. Um dos grandes chamarizes será a solução de irrigação por aspersão, que estarão nas lavouras principais da Abertura Oficial da Colheita do Arroz. “Será mostrada toda a economia de água, segurança de produtividade onde tem irrigação, já que é uma tecnologia pouco empregada ainda na Metade Sul a irrigação por pivô central”, destaca.

Para o coordenador do Irga Zona Sul, o espaço vai apresentar uma diversidade de soluções aos produtores que buscam na inovação e na sustentabilidade o rendimento da produção. “Estamos satisfeitos de construir uma vitrine que faz jus ao tema do evento que é intensificação para a sustentabilidade e a nossa vitrine avaliamos como bastante intensa e diversificada e quem vir ao evento não vai se decepcionar”, salienta.

Um dos destaques, conforme Matos, será a vitrine do Irga, que vai demonstrar a evolução genética da lavoura de arroz nos 80 anos de atuação do instituto, comemorados em 2020. “Vamos mostrar, além da evolução genética, a evolução de manejo além das projeções de futuro com sistemas de produção onde o arroz não caminhará sozinho, mas ao lado da soja e da pecuária”, observa.

A Embrapa vai apresentar cinco cultivares de arroz, sendo um lançamento da cultivar BRS A705, além da BRS 358, que também é um grão relativamente novo no mercado. Além disso, o pesquisador da Embrapa Clima Temperado, Giovani Theisen, lembra que a soja também terá espaço nas vitrines da empresa pública. “Em outro espaço também estamos trazendo plantas forrageiras pensando naquele produtor que também é pecuarista, com opções de verão, com oito diferentes variedades para pecuárias de corte e de leite”, frisa. Além disso, na parte de lavoura-pecuária, a Embrapa Pecuária Sul levará exemplares Brangus para mostrar animais com alto perfil especialmente para a produção de carne.

Além do Irga e da Embrapa, participam das vitrines as empresas Basf, que também é parceira na lavoura principal, Super N, Ihara, FMC, Bayer, UPL, Corteva, Adama, PGG Wrightson Seeds, Pioneer, RiceTec, Spraytec, Syngenta, Nidera Sementes, Lindsay, Compass Minerals, além da Universidade Federal de Pelotas (UfPel) e do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag).

A 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz é uma realização da Federarroz com correalização da Embrapa e patrocínio Premium do Irga. Confira a programação completa no site do evento www.colheitadoarroz.com.br.

Abertura da Colheita do arroz tem lançamento na Zona Sul do Estado

A Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) realizou nesta sexta-feira, dia 11 de outubro, em Pelotas (RS), o lançamento para a região Sul da 30º Abertura Oficial da Colheita do Arroz. A cerimônia ocorrida na Associação Rural de Pelotas durante a 93ª edição da Expofeira do município contou com a presença de autoridades e representantes de entidades apoiadoras e empresas patrocinadoras.

A expectativa para o evento, que ocorrerá de 12 a 14 de fevereiro de 2020 na Embrapa Terras Baixas, em Capão do Leão (RS), com o tema “Intensificação para a Sustentabilidade”, é muito grande, de acordo com o vice-presidente da Federarroz, Roberto Fagundes, lembrando que o evento é a maior abertura de grãos do país e que na edição passada, com o apoio dos produtores e da comunidade da região, além das empresas e entidades participantes, mais de 7 mil pessoas passaram pelo local em três dias de evento, oportunizando troca de informações e conhecimento. Destacou também as novidades para 2020, como irrigação por pivô e parcelas de integração lavoura-pecuária. “Entendemos que temos que sair da monocultura produzindo outros grãos como soja, milho e também investir em armazenagem, florestamento e pecuária para nos dar maior sustentabilidade no nosso agronegócio. Estaremos com as principais empresas que investem em tecnologias e com as instituições de pesquisa e ensino, todas elas com agendas positivas para que possamos nos manter dentro do nosso sistema produtivo”, observou..

Estiveram presentes ao lançamento da 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz a prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, além dos presidentes da Associação Rural, Carolina Osório, e do Sindicato Rural do município, Fernando Rechsteiner, assim como o presidente do Irga, Guinter Frantz, o chefe-geral da Embrapa Clima Temperado, Clenio Pillon, o vice-presidente da Farsul, Fábio Avancini, e o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pelotas, Nilson Loeck, representando a Fetag/RS. O evento é uma realização da Federarroz com co-realização da Embrapa e apoio do Irga.

Inovação marca o início do plantio da área da Abertura da Colheita do Arroz

Foi iniciada nesta semana a semeadura da área que acolherá a 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas, com o plantio da área principal e preparação de terrenos adjacentes. O evento acontecerá de 12 a 14 de fevereiro de 2020 na Estação Terras Baixas, da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS), e trará como enfoque temas como intensificação e sustentabilidade, ao incentivar a busca da integração do arroz com a cultura de soja e com a pecuária.

Como no ano passado, a área vai ser dividida entre duas cultivares: a Irga 431 CL, do Instituto Riograndense do Arroz, e a BRS Pampa CL, produzida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Ao lado, haverá uma expansão do espaço reservado às pastagens para pecuária, e será feita a instalação de um pivô para irrigação do arroz. O presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, destaca que esta é uma grande inovação, pois o equipamento, que normalmente é utilizado nas lavouras de soja, será usado também para o arroz. “O evento é uma ótima oportunidade que os produtores têm de buscar informação, trocar experiências e acompanhar os lançamentos das empresas. Queremos mostrar que existem alternativas que trazem segurança e sustentabilidade para a cultura de arroz”, afirma.

Para o dirigente, o futuro passa por se explorar atividades que vão além da monocultura. “A alternância com a soja pode reduzir o custo de produção em 15%, e aumentar a produtividade na faixa de 10% a 20%”, ressalta, acrescentando que cada propriedade tem as suas características e, portanto, cada uma deve implantar o melhor sistema dentro das próprias capacidades. “Queremos que o produtor visualize oportunidades e caminhos”, reforça.

Conforme o coordenador do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) da Zona Sul, André Matos, além da área principal também serão semeadas nas próximas semanas as vitrines tecnológicas das empresas, que terão lavouras demonstrativas para compor o roteiro dos produtores que buscam informações e novidades no setor. “Destacamos nosso esforço em fazer uma Abertura ainda melhor e mais caprichada, que traga conhecimentos complementares e seja de utilidade ao produtor”, comenta. Matos destaca ainda a participação da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), que apresentará seus estudos e soluções para a cadeia arrozeira.

No próximo dia 11 de outubro, será realizado o lançamento da Abertura Oficial da Colheita do Arroz durante a Expofeira de Pelotas, a partir das 15h, na sede da Associação Rural de Pelotas, no parque Ildefonso Simões Lopes. A Abertura Oficial da Colheita do Arroz é uma promoção da Federarroz com co-realização da Embrapa e apoio do Irga. O evento possui o objetivo de desenvolver o setor orizícola, reunindo produtores, colaboradores, autoridades, entidades e empresas do agronegócio do arroz, com a finalidade de mostrar os avanços científicos e discutir a realidade socioeconômica do setor em nível nacional e internacional.

Foto: André Matos/Divulgação

Trigésima Abertura da Colheita do Arroz começa a ser preparada

Os preparativos para a 30ª edição da Abertura Oficial da Colheita do Arroz já estão em andamento. O evento será realizado entre os dias 12 e 14 de fevereiro de 2020 na Estação Terras Baixas, da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS), mesmo lugar de 2019. O tema para o próximo ano será “Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas, Intensificação para Sustentabilidade”.

A organização é da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) e da Embrapa, contando com apoio institucional do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga). Conforme o presidente da Federarroz, Alexandre Velho, esta edição será especial já que serão organizados eventos em razão da 30ª edição da abertura e dos 30 anos da entidade. Apesar das dificuldades históricas que parte significativa dos produtores de arroz do Estado vêm enfrentado, o evento vem se destacando no cenário da agricultura nacional, sendo reconhecida como a maior abertura de colheita de safras do país.

O dirigente reforça que o termo sustentabilidade está ligado a outros fatores que fazem os produtores enxergar que um sistema de produção cada vez mais com a soja e a pecuária é o que trará sustentabilidade para o negócio. “Esperamos trazer um número maior de informações e conhecimento para que os produtores tenham mais segurança na sua atividade e busquem alternativas de cultivo em terras baixas”, salienta, acrescentando que uma das novidades será na lavoura de soja, que contará com a irrigação por pivô.

Segundo a organização, a escolha do tema reflete o atual desafio do produtor rural de viabilizar a propriedade por meio da intensificação das atividades na busca da sustentabilidade plena, ambiental, social e principalmente econômica. Na edição deste ano a Abertura Oficial da Colheita do Arroz contou com cerca de 7 mil visitantes nos três dias de evento, além de 70 empresas e instituições participantes, com 34 vitrines tecnológicas e 44 caravanas presentes de diversos lugares do Sul do Brasil. Durante a Expointer, ocorrerá o lançamento oficial do evento na segunda-feira, 26 de agosto, às 12h30min, na Casa do Irga no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS).

Abertura Oficial da Colheita do Arroz define data e local para 2020

A 30º edição da Abertura Oficial da Colheita do Arroz, organizada pela Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), já tem data e local definidos. Será de 12 a 14 de fevereiro de 2020 na Estação Terras Baixas, da Embrapa Clima Temprado, em Capão do Leão (RS), mesmo lugar do evento em 2019. O tema para o próximo ano será “Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas, Intensificação para Sustentabilidade”.

A escolha do tema reflete o atual desafio do produtor rural de viabilizar a propriedade por meio da intensificação das atividades na busca da sustentabilidade plena, ambiental, social e principalmente econômica. Na edição deste ano a Abertura Oficial da Colheita do Arroz contou com cerca de 7 mil visitantes nos três dias de evento, além de 70 empresas e instituições participantes, com 34 vitrines tecnológicas e 44 caravanas presentes de diversos lugares do Sul do Brasil.